Mas porque Almas Castelos? Eu conheci algumas. São pessoas cujas almas se parecem com um castelo. São fortes e combativas, contendo no seu interior inúmeras salas, cada qual com sua particularidade e sua maravilha. Conversar, ouvir uma história... é como passear pelas salas de sua alma, de seu castelo. Cada sala uma história, cada conversa uma sala. São pessoas de fé flamejante que, por sua palavra, levam ao próximo: fé, esperança e caridade. São verdadeiras fortalezas como os muros de um Castelo contra a crise moral e as tendências desordenadas do mundo moderno. Quando encontramos essas pessoas, percebemos que conhecer sua alma, seu interior, é o mesmo que visitar um castelo com suas inúmeras salas. São pessoas que voam para a região mais alta do pensamento e se elevam como uma águia, admirando os horizontes e o sol... Vivem na grandeza das montanhas rochosas onde os ventos são para os heróis... Eu conheci algumas dessas águias do pensamento. Foram meus professores e mestres, meus avós e sobretudo meus Pais que enriqueceram minha juventude e me deram a devida formação Católica Apostolica Romana através das mais belas histórias.

A arte de contar histórias está sumindo, infelizmente.

O contador de histórias sempre ocupou um lugar muito importante em outras épocas.

As famílias não têm mais a união de outrora, as conversas entre amigos se tornaram banais. Contar histórias: Une as famílias, anima uma conversa, torna a aula agradável, reata as conversas entre pais e filhos, dá sabedoria aos adultos, torna um jantar interessante, aguça a inteligência, ilustra conferências... Pense nisso.

Há sempre uma história para qualquer ocasião.

“Ide por todo o mundo e pregai o Evangelho a toda criatura” (Mc. 16:15)

Nosso Senhor Jesus Cristo ensinava por parábolas. Peço a Nossa Senhora que recompense ao cêntuplo, todas as pessoas que visitarem este Blog e de alguma forma me ajudarem a divulga-lo. Convido você a ser um seguidor. Autorizo a copiar todas as matérias publicadas neste blog, mas peço a gentileza de mencionarem a fonte de onde originalmente foi extraída. Além de contos, estórias, histórias e poesias, o blog poderá trazer notícias e outras matérias para debates.
Agradeço todos os Sêlos, Prêmios e Reconhecimentos que o Blog Almas Castelos recebeu. Todos eles dou para Nossa Senhora, sem a qual o Almas Castelos não existiria. Por uma questão de estética os mesmos foram colocados na barra lateral direita do Blog. Obrigado. Que a Santa Mãe de Deus abençoe a todos.

sábado, 29 de janeiro de 2011

Do Egito ao Calvário


"Depois de sua partida, um anjo do Senhor apareceu em sonhos a José e disse: Levanta-te, toma o menino e sua mãe e foge para o Egito; fica lá até que eu te avise, porque Herodes vai procurar o menino para o matar.

José levantou-se durante a noite, tomou o menino e sua mãe e partiu para o Egito."

(São Mateus, 2 - 13:14)

Na tradição popular encontramos um conto muito interessante:

Quando Nossa Senhora fugiu com a Sagrada Família para o Egito, durante o caminho teve que parar várias vezes. Numa dessas paradas, numa região muito pobre, quis Nossa Senhora dar um banho no Menino Jesus. São José bateu numa casa e explicou que estava de viajem e que precisava dar banho no menino.

A dona da casa abriu a porta olhou bem para eles e pediu para entrarem.

Nossa Senhora lavou o Menino Jesus numa bacia, renovando a água por duas vezes.

A mulher observava atentamente Nossa Senhora e o cuidado que Ela tinha com o Menino Jesus. Fazia perguntas: de onde eram, quem eram... Nossa Senhora explicava para aquela pobre mulher a grandeza das coisas santas e falava de Nosso Senhor. Imaginem Nossa Senhora fazendo apostolado... Nossa Senhora falando das coisas do céu...

Ora, a conversa com Nossa Senhora deixou a mulher extasiada.
Sentindo uma alegria muito grande dentro de si, a mulher acabou confessando que seu marido era um ladrão e moravam ali na mais extrema pobreza. Também falou que seu filho que tinha mais um menos a idade do Menino Jesus andava doente há dias e não havia meio de ser curado.

Então, na hora de irem embora, Nossa Senhora agradeceu a mulher e disse:

- Dê banho no seu filho com a mesma água que banhei Meu Filho e ele ficará curado.

Grande Milagre. A mulher fez o que Nossa Senhora tinha pedido, e seu filho ficou curado imediatamente. Saiu na rua a procura daquela Santa Família, correu por todos os lados, mas já era tarde e a Sagrada Família não estava mais lá... seguia seu caminho protegida por miríades de anjos.

A notícia correu por aquela região desértica, mas ninguém sabia onde Nossa Senhora estava. O tempo foi passando e o filho, pelo mau exemplo do pai, acabou sendo um ladrão também. E o milagre acabou caindo no esquecimento.

Mas de que vale curar o corpo se a alma está doente? Que fruto colheria esse menino dessa graça tão grande a ele concedida?

Anos mais tarde, esse menino que havia crescido, acabou sendo preso e condenado à morte.

Como era costume na época, foi mandado para ser crucificado juntamente com dois outros condenados. De repente a graça toca-lhe o coração e, sem saber, estava sendo crucificado ao lado d’Aquele que quando menino lhe salvara a vida e agora iria lhe salvar a alma. Sim, era Dimas tocado pela graça e arrependido de seus pecados que disse: “Senhor, lembrai de mim quando entrares em seu Reino.”

A passagem é muito bonita. Transcrevo o que está nas sagradas escrituras, pois esse menino acabou sendo conhecido no futuro como “o bom ladrão”.

“A multidão conservava-se lá e observava. Os príncipes dos sacerdotes escarneciam de Jesus, dizendo: Salvou a outros, que se salve a si próprio, se é o Cristo, o escolhido de Deus!
Do mesmo modo zombavam dele os soldados. Aproximavam-se dele, ofereciam-lhe vinagre e diziam:

Se és o rei dos judeus, salva-te a ti mesmo.
Por cima de sua cabeça pendia esta inscrição: Este é o rei dos judeus.

Um dos malfeitores, ali crucificados, blasfemava contra ele:

Se és o Cristo, salva-te a ti mesmo e salva-nos a nós!

Mas o outro o repreendeu:

Nem sequer temes a Deus, tu que sofres no mesmo suplício? Para nós isto é justo: recebemos o que mereceram os nossos crimes, mas este não fez mal algum.

E acrescentou: Jesus, lembra-te de mim, quando tiveres entrado no teu Reino!
Jesus respondeu-lhe: Em verdade te digo: hoje estarás comigo no paraíso.

Era quase à hora sexta e em toda a terra houve trevas até a hora nona.
Escureceu-se o sol e o véu do templo rasgou-se pelo meio.

Jesus deu então um grande brado e disse: Pai, nas tuas mãos entrego o meu espírito. E, dizendo isso, expirou.
Vendo o centurião o que acontecia, deu glória a Deus e disse: Na verdade, este homem era um justo. E toda a multidão dos que assistiam a este espetáculo e viam o que se passava, voltou batendo no peito.”

(São Lucas, 23, 35:48)

(Autoria desconhecida, mas reunida em “Contos da Tradição Popular – Reuniões de Ouro” de Jorge de Almas Castelos)

9 comentários:

  1. Olá.. eu li essa história no livro a Paixão do Senhor da Anna Catarina Emmmerich, o livro que inspirou o filme do Mel Gipson, ela teve a visão dessa história.. mas não sei se seria daí a origem dela..de qualquer forma acredito na veracidade dela entao a origem seria o proprio acontecimento que foi passado de geração em geração durante 2011 anos! Jesus é demais!

    ResponderExcluir
  2. Então, meu amigo "anônimo", que bom que voce veio me visitar trazendo seu comentário. Se é assim, então descobrimos a fonte original da história: é Anna Catarina Emmerich. Ela era uma freira alemã que teve inúmeras revelações, e está em processo de canonização ou beatificação, não sei bem. Agradeço muitíssimo por ter nos trazido a origem da história. Que Nossa Senhora lhe abençoe sempre.

    ResponderExcluir
  3. Amigo Jorge,
    Lindíssima essa história.
    Como é maravilhoso vir aqui e encontrar esses preciosos posts.
    O mais lindo disso tudo, é que Dimas teve tempo de se arrepender de seus pecados e hoje mora com Jesus no paráiso.
    De que vale curar o corpo, se a alma está doente? Essa frase me tocou muito.
    Abençoado post, parabéns!

    O jardim se enche de alegria com suas visitas e comentários.A recíproca é verdadeira. Tenho feito muitas amizades na blogsfera.
    Você iniciou o seu blog na intenção de ajudar as pessoas, e hoje se diz ajudado. Mas a sua primeira intenção é concretizada em cada mensagem você nos presenteia.
    Agradeço a Deus pela sua vida e de todos amizades, presentes de Deus.
    Obrigada pelo carinho e orações.
    Amigo fiel, refúgio poderoso. Quem o descobriu, encontrou um tesouro.
    Abraço fraterno,

    ResponderExcluir
  4. Conheço esta historia e o menino Dimas estava com lepra.

    ResponderExcluir
  5. Agradeço Lucinha sua visita e comentário. Gosto muito de visitar seu blog tambem. Agradeço a Deus pelas amizades que fiz pelo caminho, e peço a Nossa Senhora que abençoe a todos dando-lhes muita saúde.

    ResponderExcluir
  6. Muito me honra a visita e o comentário do Pe. Sávio da Capelania Hospitalar de São Camilo. Considero-o meu mestre. Recomendo a todos que visitem seu Blog: http://capelaniasaocamilo.blogspot.com/
    Não sabia que o Dimas da história era portador de lepra. Obrigado Pe. Savio por enriquecer meu blog.

    ResponderExcluir
  7. Tentei muito ontem postar um comentario neste post, não consegui. Acabei de fazer agora e tbém não aceitou. Jorge, vc me bloqueou?

    ResponderExcluir
  8. Pronto! Já vi que vc não me bloqueou. Desculpe-me. Tanto tentei ontem e hoje, outra vez? Agora posso lhe dizer que a história da Tradição Popular é fantástica de linda e fez-me lembrar do filme Ben - Hur. Obrigada pela tão preciosa partilha!

    ResponderExcluir
  9. Minha amiga Alfa e Omega, boa noite. Jamais eu bloquearia alguém em meu blog. Mas fiz questão de publicar seu comentário (os dois) por que se ocorrer novamente com alguma outra pessoa, saibam que é problema de conexão de internet. Tentem mais tarde novamente, assim como fez essa minha grande amiga Alfa e Omega.
    Você lembrou bem: Ben-Hur. Filmes como esses são maravilhosos. São grandes produções. Sugestão para quem quer ver um filme bom: Ben-Hur (com Charlton Heston), Os Dez Mandamentos (com Charlton Heston), Quo Vadis, O Manto Sagrado (com Victor Mature), Demétrius e os Gladiadores (continuação do Manto Sagrado, com Victor Mature), Barrabás (com Anthony Quinn), Rei dos Reis, A Virgem de Fátima, Joana D’Arc (com Ingrid Bergman), Padre Pio, Marcelino Pão e Vinho, A tortura do silencio (direção de Alfred Hitchcock – fala sobre o segredo inviolável da confissão), e tantos outros filmes bons.

    ResponderExcluir