Mas porque Almas Castelos? Eu conheci algumas. São pessoas cujas almas se parecem com um castelo. São fortes e combativas, contendo no seu interior inúmeras salas, cada qual com sua particularidade e sua maravilha. Conversar, ouvir uma história... é como passear pelas salas de sua alma, de seu castelo. Cada sala uma história, cada conversa uma sala. São pessoas de fé flamejante que, por sua palavra, levam ao próximo: fé, esperança e caridade. São verdadeiras fortalezas como os muros de um Castelo contra a crise moral e as tendências desordenadas do mundo moderno. Quando encontramos essas pessoas, percebemos que conhecer sua alma, seu interior, é o mesmo que visitar um castelo com suas inúmeras salas. São pessoas que voam para a região mais alta do pensamento e se elevam como uma águia, admirando os horizontes e o sol... Vivem na grandeza das montanhas rochosas onde os ventos são para os heróis... Eu conheci algumas dessas águias do pensamento. Foram meus professores e mestres, meus avós e sobretudo meus Pais que enriqueceram minha juventude e me deram a devida formação Católica Apostolica Romana através das mais belas histórias.

A arte de contar histórias está sumindo, infelizmente.

O contador de histórias sempre ocupou um lugar muito importante em outras épocas.

As famílias não têm mais a união de outrora, as conversas entre amigos se tornaram banais. Contar histórias: Une as famílias, anima uma conversa, torna a aula agradável, reata as conversas entre pais e filhos, dá sabedoria aos adultos, torna um jantar interessante, aguça a inteligência, ilustra conferências... Pense nisso.

Há sempre uma história para qualquer ocasião.

“Ide por todo o mundo e pregai o Evangelho a toda criatura” (Mc. 16:15)

Nosso Senhor Jesus Cristo ensinava por parábolas. Peço a Nossa Senhora que recompense ao cêntuplo, todas as pessoas que visitarem este Blog e de alguma forma me ajudarem a divulga-lo. Convido você a ser um seguidor. Autorizo a copiar todas as matérias publicadas neste blog, mas peço a gentileza de mencionarem a fonte de onde originalmente foi extraída. Além de contos, estórias, histórias e poesias, o blog poderá trazer notícias e outras matérias para debates.
Agradeço todos os Sêlos, Prêmios e Reconhecimentos que o Blog Almas Castelos recebeu. Todos eles dou para Nossa Senhora, sem a qual o Almas Castelos não existiria. Por uma questão de estética os mesmos foram colocados na barra lateral direita do Blog. Obrigado. Que a Santa Mãe de Deus abençoe a todos.

sexta-feira, 14 de janeiro de 2011

Consciência


Narra uma lenda que Artaxerxes, o antigo rei da Pérsia, que conquistou o Egito, mandara ocultar entre as penas de seu travesseiro a fabulosa quantia de 500.000 talentos de ouro a fim de se assegurar um sono tranqüilo e contínuo.

O famoso imperador Calígula, além de seu aparatoso corpo de guarda, mantinha duas terríveis panteras às portas de seu palácio para que ninguém se acercasse de seus aposentos enquanto ele dormia.

Mais estranha ainda era a mania de Artabaxo, general persa, que punha um escudo por cima da cabeça na vã esperança de que assim procedendo evitaria que o teto o esmagasse, vindo a desabar durante a noite.

De quantas preocupações inúteis e ridículas se cercam os tiranos e pecadores!

O único travesseiro que proporciona ao cristão um sono calmo e perfeito é uma consciência tranqüila. A verdadeira paz, realmente, não é senão o sossego de uma consciência pura.

Consiste ela em reprimirmos os desejos, não em satisfazê-los. Se há um lugar escondido, um emprego obscuro, um sítio desprezível aos olhos do mundo, ali está, sobretudo, a paz. Quanto mais o coração se humilha, tanto mais ela é suave e profunda.

Sê, pois, senhor de tua vontade e conserva tranqüila a tua consciência.

(“Lendas do Céu e da Terra” – Malba Tahan)

4 comentários:

  1. Querido Jorge,
    Que texto lindo!!!
    Você como sempre ,uma caixinha de surpresas .
    Deus abençoe seus caminhos meu querido.

    ResponderExcluir
  2. Preocupações! Ah! Quantas preocupações nos mantém acorrentados, não é mesmo? Preocupar-se, para mim é acorrentar-se. O pecado acorrenta. Esses grandes personagens tinham mesmo que ter essas preocupações, pois tinham tesouros consigo. Eu, agora experimento esse sentimento, pois fiquei sem os dois pilares da minha vida: minha mãe e meu marido. Me agarro, me socorro em Deus, mas mesmo assim ainda me preocupo. Amigo, um abraço!

    ResponderExcluir
  3. Paz e saúde,amigo!Bonita lição de vida..."Ainda que fujas do campo para a cidade, ou da rua para tua casa, tua consciência vai sempre contigo. De tua casa só podes fugir para teu coração. Porém, para onde fugirás de ti mesmo?"(Santo Agostinho).
    Vinde,Espírito Santo,e do céu enviai um raio de vossa luz,sobre as nossas mentes e corações.

    ResponderExcluir
  4. Tenho certeza que fiz um comentário para este post, mas, que pena que houve problemas na sua emissão. Bem, faço-o novamente. As preocupações nos tiram o sono. Eu não costumava tê-las, mas após a morte de minha mãe e, logo em seguida a de meu marido, hoje as tenho e frequentemente tiram-me o sono e frustram-me profundamente por não ter confiança total na providência divina. Os personagens do post tinham tesouros e a personagem aqui, não os têm! rsrsrs. Parabéns pela qualidade de reflexão que esse post rendeu. Abração!

    ResponderExcluir