Mas porque Almas Castelos? Eu conheci algumas. São pessoas cujas almas se parecem com um castelo. São fortes e combativas, contendo no seu interior inúmeras salas, cada qual com sua particularidade e sua maravilha. Conversar, ouvir uma história... é como passear pelas salas de sua alma, de seu castelo. Cada sala uma história, cada conversa uma sala. São pessoas de fé flamejante que, por sua palavra, levam ao próximo: fé, esperança e caridade. São verdadeiras fortalezas como os muros de um Castelo contra a crise moral e as tendências desordenadas do mundo moderno. Quando encontramos essas pessoas, percebemos que conhecer sua alma, seu interior, é o mesmo que visitar um castelo com suas inúmeras salas. São pessoas que voam para a região mais alta do pensamento e se elevam como uma águia, admirando os horizontes e o sol... Vivem na grandeza das montanhas rochosas onde os ventos são para os heróis... Eu conheci algumas dessas águias do pensamento. Foram meus professores e mestres, meus avós e sobretudo meus Pais que enriqueceram minha juventude e me deram a devida formação Católica Apostolica Romana através das mais belas histórias.

A arte de contar histórias está sumindo, infelizmente.

O contador de histórias sempre ocupou um lugar muito importante em outras épocas.

As famílias não têm mais a união de outrora, as conversas entre amigos se tornaram banais. Contar histórias: Une as famílias, anima uma conversa, torna a aula agradável, reata as conversas entre pais e filhos, dá sabedoria aos adultos, torna um jantar interessante, aguça a inteligência, ilustra conferências... Pense nisso.

Há sempre uma história para qualquer ocasião.

“Ide por todo o mundo e pregai o Evangelho a toda criatura” (Mc. 16:15)

Nosso Senhor Jesus Cristo ensinava por parábolas. Peço a Nossa Senhora que recompense ao cêntuplo, todas as pessoas que visitarem este Blog e de alguma forma me ajudarem a divulga-lo. Convido você a ser um seguidor. Autorizo a copiar todas as matérias publicadas neste blog, mas peço a gentileza de mencionarem a fonte de onde originalmente foi extraída. Além de contos, estórias, histórias e poesias, o blog poderá trazer notícias e outras matérias para debates.
Agradeço todos os Sêlos, Prêmios e Reconhecimentos que o Blog Almas Castelos recebeu. Todos eles dou para Nossa Senhora, sem a qual o Almas Castelos não existiria. Por uma questão de estética os mesmos foram colocados na barra lateral direita do Blog. Obrigado. Que a Santa Mãe de Deus abençoe a todos.

segunda-feira, 25 de outubro de 2010

A dádiva que agrada a Deus


Conta um poeta veneziano que, em tempos idos, numa pequena cidade da Itália, os fiéis foram convidados, em certo dia de festa, a depor uma dádiva diante do altar. E quem desse alguma coisa, realmente aceita pelo Senhor, havia de saber, por milagroso aviso, que a sua oferta agradara.

Apressaram-se todos a trazer especiarias custosas, rendas de preço, jóias, pedras preciosas, peças de ouro e prata, vestimentas dispendiosas, estatuas, quadros magníficos. Eram oferendas cheias de vaidade, transbordantes de orgulho. A graça divina não coroou com o sinal revelador nenhuma daquelas oblações.

E todos deixavam o templo cabisbaixos, envergonhados como se tivessem ofendido a Divina Caridade.

Ao cair da tarde uma moça pobremente vestida apresentou-se com as mãos vazias. Entrou sem dar atenção aos olhares curiosos que convergiam sobre ela, aproximou-se do altar, ajoelhou-se e orou durante algum tempo. Viram-na colocar ambas as mãos sobre o altar e nessa atitude permanecer um instante. Depois levantou-se, saiu da catedral com o semblante calmo e alegremente iluminado. Então todos os fiéis olharam para o altar e eis, o milagre do Céu! - dois lírios brancos ali surgidos, deslumbrantes em sua alvura, embalsamam o ar com penetrante perfume. Eis o sinal revelador!

A pobre menina não tinha ricos presentes que desse, mas consagrou-se a si mesma, e foi essa a oferenda aceita pelo Senhor.

Os dons que promanam da ostentação e da vaidade nada valem aos olhos de Deus.
Lembrai-vos dos grandes conselhos que dão os Santos: É mister que aquele que tem muito dê muito; que o que tem pouco dê pouco; e que aquele que nada tem, possua ao menos o desejo de dar; pois a vontade daquele que dá ou deseja dar tem mais merecimento que a mesma dádiva. O pequeno óbolo da viúva, de que nos fala o Evangelho, foi mais agradável a Deus que as pomposas ofertas feitas pelos ricos faustosos.

Amai, também, a esmola espiritual. Um prudente conselho, uma virtuosa exortação, uma consolação salutar, uma visita a um enfermo, a proteção dada a uma viúva ou a um órfão, a uma pessoa abandonada ou perseguida, são esmolas tanto mais meritórias diante de Deus quanto ordinariamente são menos brilhantes aos olhos dos homens.

(Malba Tahan - Lendas do Céu e da Terra)

5 comentários:

  1. A simplicidade e a bondade do coração são as ofertas que agradam a Deus Pai. Linda história. Lindo texto. Um bom dia para você amigo Jorge :)

    ResponderExcluir
  2. 'Toma as minhas MÃOS te peço,toma meus lábios te amo,toma minha VIDA ó PAI,teu sou!'...Deus te abençoe,amigo,e obrigada p/ ensinamentos...uma semana cheia de PAZ!

    ResponderExcluir
  3. Saudações de Belo Horizonte - Brasil!!

    Lindo texto... Bonito mesmo.
    ... Me fez meditar se eu não venho sendo sovina com as "esmolas espirituais"...

    Saúde e Paz!!

    ResponderExcluir
  4. Jorge, este texto me fez lembrar uma história entitulada "Aquela que construíra a Igreja..." do livro Conselhos e Lembranças da minha querida Santinha Teresa de Lisieux. Não sei se conhece esse livro. Caso se interesse posso digitalizar a história e enviar para você.

    ResponderExcluir
  5. Agradeço todos os comentários, que são um incentivo para que eu continue este humilde trabalho. Jordana, gostaria de conhecer essa passagem de Santa Teresa de Lisieux.
    Que Nossa Senhora abençoe a todos.

    ResponderExcluir