Mas porque Almas Castelos? Eu conheci algumas. São pessoas cujas almas se parecem com um castelo. São fortes e combativas, contendo no seu interior inúmeras salas, cada qual com sua particularidade e sua maravilha. Conversar, ouvir uma história... é como passear pelas salas de sua alma, de seu castelo. Cada sala uma história, cada conversa uma sala. São pessoas de fé flamejante que, por sua palavra, levam ao próximo: fé, esperança e caridade. São verdadeiras fortalezas como os muros de um Castelo contra a crise moral e as tendências desordenadas do mundo moderno. Quando encontramos essas pessoas, percebemos que conhecer sua alma, seu interior, é o mesmo que visitar um castelo com suas inúmeras salas. São pessoas que voam para a região mais alta do pensamento e se elevam como uma águia, admirando os horizontes e o sol... Vivem na grandeza das montanhas rochosas onde os ventos são para os heróis... Eu conheci algumas dessas águias do pensamento. Foram meus professores e mestres, meus avós e sobretudo meus Pais que enriqueceram minha juventude e me deram a devida formação Católica Apostolica Romana através das mais belas histórias.

A arte de contar histórias está sumindo, infelizmente.

O contador de histórias sempre ocupou um lugar muito importante em outras épocas.

As famílias não têm mais a união de outrora, as conversas entre amigos se tornaram banais. Contar histórias: Une as famílias, anima uma conversa, torna a aula agradável, reata as conversas entre pais e filhos, dá sabedoria aos adultos, torna um jantar interessante, aguça a inteligência, ilustra conferências... Pense nisso.

Há sempre uma história para qualquer ocasião.

“Ide por todo o mundo e pregai o Evangelho a toda criatura” (Mc. 16:15)

Nosso Senhor Jesus Cristo ensinava por parábolas. Peço a Nossa Senhora que recompense ao cêntuplo, todas as pessoas que visitarem este Blog e de alguma forma me ajudarem a divulga-lo. Convido você a ser um seguidor. Autorizo a copiar todas as matérias publicadas neste blog, mas peço a gentileza de mencionarem a fonte de onde originalmente foi extraída. Além de contos, estórias, histórias e poesias, o blog poderá trazer notícias e outras matérias para debates.
Agradeço todos os Sêlos, Prêmios e Reconhecimentos que o Blog Almas Castelos recebeu. Todos eles dou para Nossa Senhora, sem a qual o Almas Castelos não existiria. Por uma questão de estética os mesmos foram colocados na barra lateral direita do Blog. Obrigado. Que a Santa Mãe de Deus abençoe a todos.

sexta-feira, 5 de novembro de 2010

O remédio


Vivia no deserto da Tebaida um velho monge por cujos conselhos se moviam de longes terras os mais avisados peregrinos.
Um dia, vindo de país longínquo, bateu à humilde casa de sua moradia, aos primeiros alvores da manhã, um frade, moço e forte, que lhe disse:

- Irmão, venho pedir-te, em nome de Deus, que me ensineis a fugir às tentações.

Respondeu o venerável monge:

- Outro pedido te farei. Ajuda-me um pouco hoje, e amanhã te ensinarei, pela graça de Deus, o que desejas.

Assim ajustaram.
Vinha rompendo o dia. Entregaram-se ambos à faina de remover a terra. O monge cantava e o frade pôs-se a fazer o mesmo. Tomaram uma refeição. Era frugal. O frade achou-a saborosa. Retornaram, depois, a tarefa e amainaram a terra até o pôr do sol. Jantaram. Terminada a refeição fizeram um pequeno passeio. A seguir oraram juntos, estudaram as Escrituras e deitaram-se depois a dormir.
Pela manhã, perguntou o monge ao seu hóspede:

- Irmão, queres ainda saber como afastar as tentações?

- Não - respondeu-lhe o frade. - Bastante tenho aprendido, mestre.

E, beijando-o respeitosamente, partiu.
Tinha obtido o remédio para afastar todas as tentações: a oração e o trabalho.
A oração é uma das expressões mais íntimas e delicadas da vida piedosa.

(trecho de: O remédio - “Lendas do Céu e da Terra” – Malba Tahan)

Nota do Blog: Certa vez, uma moça estava rezando para ir dormir, quando escutou bater na porta do seu quarto. Foi verificar e não havia ninguém, no entanto notou uma carta deixada por debaixo da porta. Pegou a carta, abriu-a e leu:
“Clara! Não rezes por mim. Estou condenada.”
É assim que começa a história de duas amigas, tendo uma falecido em acidente de automóvel. Na narrativa a falecida, que está no Inferno, diz por carta à amiga:
“Quem está no inferno é por que nunca rezou ou rezou muito pouco”.
Tal frase dispensa qualquer comentário. Recomendo a leitura desse impressionante livro “Estou Condenada!” ou “Carta do Além” com notas do Padre Bernhardin Krempel, Doutor em Teologia.
http://www.livrariapetrus.com.br/produtos.asp?produto=634

4 comentários:

  1. É a própria regra de S. Bento: "Ora et labora". Perfeita combinação!! Interessante dica, Jorge, do mencionado livro. Um ótimo final de semana, boa noite :)

    ResponderExcluir
  2. Paz e bem,Jorge,mais uma vez um ensinamento,que também era o lema de São Bento:'ora et labora'(oração e trabalho),a ociosidade só nos leva a pensamentos e ações ruins,a oração nos leva a Deus,e também é remédio prá alma...que a Paz de Jesus e Maria,esteja sempre contigo!

    ResponderExcluir
  3. Ave Maria, não quero esse livro, não, mas o alerta serviu. Vou intensificar mais as minhas orações. E a lendinha do Malba tbém está linda. Abração!

    ResponderExcluir
  4. Agradeço os generosos comentários. Nós dos Blogs Católicos agimos assim tambem: Ora et Labora. Trabalhamos em nossas postagens e rezamos para que faça algum bem.

    ResponderExcluir