Mas porque Almas Castelos? Eu conheci algumas. São pessoas cujas almas se parecem com um castelo. São fortes e combativas, contendo no seu interior inúmeras salas, cada qual com sua particularidade e sua maravilha. Conversar, ouvir uma história... é como passear pelas salas de sua alma, de seu castelo. Cada sala uma história, cada conversa uma sala. São pessoas de fé flamejante que, por sua palavra, levam ao próximo: fé, esperança e caridade. São verdadeiras fortalezas como os muros de um Castelo contra a crise moral e as tendências desordenadas do mundo moderno. Quando encontramos essas pessoas, percebemos que conhecer sua alma, seu interior, é o mesmo que visitar um castelo com suas inúmeras salas. São pessoas que voam para a região mais alta do pensamento e se elevam como uma águia, admirando os horizontes e o sol... Vivem na grandeza das montanhas rochosas onde os ventos são para os heróis... Eu conheci algumas dessas águias do pensamento. Foram meus professores e mestres, meus avós e sobretudo meus Pais que enriqueceram minha juventude e me deram a devida formação Católica Apostolica Romana através das mais belas histórias.

A arte de contar histórias está sumindo, infelizmente.

O contador de histórias sempre ocupou um lugar muito importante em outras épocas.

As famílias não têm mais a união de outrora, as conversas entre amigos se tornaram banais. Contar histórias: Une as famílias, anima uma conversa, torna a aula agradável, reata as conversas entre pais e filhos, dá sabedoria aos adultos, torna um jantar interessante, aguça a inteligência, ilustra conferências... Pense nisso.

Há sempre uma história para qualquer ocasião.

“Ide por todo o mundo e pregai o Evangelho a toda criatura” (Mc. 16:15)

Nosso Senhor Jesus Cristo ensinava por parábolas. Peço a Nossa Senhora que recompense ao cêntuplo, todas as pessoas que visitarem este Blog e de alguma forma me ajudarem a divulga-lo. Convido você a ser um seguidor. Autorizo a copiar todas as matérias publicadas neste blog, mas peço a gentileza de mencionarem a fonte de onde originalmente foi extraída. Além de contos, estórias, histórias e poesias, o blog poderá trazer notícias e outras matérias para debates.
Agradeço todos os Sêlos, Prêmios e Reconhecimentos que o Blog Almas Castelos recebeu. Todos eles dou para Nossa Senhora, sem a qual o Almas Castelos não existiria. Por uma questão de estética os mesmos foram colocados na barra lateral direita do Blog. Obrigado. Que a Santa Mãe de Deus abençoe a todos.

domingo, 29 de agosto de 2010

A morte de São Bento

No Mesmo ano em que havia de sair desta vida, anunciou o dia de sua santíssima morte a alguns discípulos que com ele viviam e a outros que viviam longe; aos que estavam presentes, recomendou-lhes que guardassem silêncio sobre o que haviam ouvido, e aos ausentes lhes indicou que sinal se lhes daria quando sua alma saísse do corpo.
Seis dias antes da morte mandou abrir sua sepultura. Logo depois, atacado por uma febres, começou a ressentir-se de seu ardor violento. Como a enfermidade se agravasse dia a dia, no sexto fez-se conduzir pelos discípulos ao oratório e ali se fortaleceu para a partida deste mundo recebendo o Corpo e o Sangue do Senhor; e apoiando seus enfraquecidos membros nos braços dos seus discípulos, permaneceu de pé com as mãos erguidas para o céu, e exalou o último suspiro entre as palavras da oração.
No mesmo dia, dois de seus discípulos, um que se achava no monastério e outro distante dele, tiveram uma mesma e idêntica revelação. Viam um caminho adornado por tapetes e resplandecente de inumeráveis luzes que saía de seu monastério pela parte do Oriente e se dirigia diretamente para o Céu. No alto, um personagem de aspecto venerável e luminoso lhes perguntou se sabiam que caminho era aquele que estavam contemplando. Eles responderam que não sabiam. E então lhe disse:

- “Este é o caminho pelo qual Bento, o amado do Senhor, subiu ao Céu”.

Assim, ao mesmo tempo que os discípulos presentes assistiram à morte de santo varão, os ausentes a conheceram graças ao sinal que lhes havia anunciado.

Séculos após o falecimento de São Bento, apareceu a Santa Gertrudes, sua ilustre filha espiritual. Arrebatada em admiração contemplando suas grandezas, a virgem recordou-lhe sua gloriosa morte, quando na Igreja de Monte Cassino após ter recebido o Corpo e o Sangue do Senhor, sustentado nos braços de seus discípulos e de pé como um guerreiro, numa derradeira prece entregou sua santa alma a Deus. Gertrudes ousou pedir-lhe então, em nome de tão preciosa morte, que se dignasse assistir com sua presença, em sua última hora, a cada uma das religiosas que então compunham o mosteiro de que fazia parte. O santo Patriarca, seguro do seu crédito junto ao soberano Senhor de todas as coisas, respondeu-lhe com a doce autoridade de que estava repassado seu falar neste mundo:

“Todo aquele que me render homenagem pelo favor com que meu Mestre dignou-Se honrar meus últimos momentos, obrigo-me a assisti-lo eu mesmo na hora de sua morte. Serei para ele um baluarte, que o defenderá com segurança contra as investidas dos demônios. Fortificado por minha presença, escapará às ciladas dos inimigos de sua alma, e o céu se abrirá diante dele.”

Vida e Milagres de São Bento – São Gregório Magno, Papa – Artpress Editora.

Um comentário:

  1. Oração e trabalho, eis a grande lição de São Bento. Então, São Bento e Santa Gertrudes, rogai por nós!! Uma ótima semana para você amigo Jorge, um abraço fraterno ;)

    ResponderExcluir