Mas porque Almas Castelos? Eu conheci algumas. São pessoas cujas almas se parecem com um castelo. São fortes e combativas, contendo no seu interior inúmeras salas, cada qual com sua particularidade e sua maravilha. Conversar, ouvir uma história... é como passear pelas salas de sua alma, de seu castelo. Cada sala uma história, cada conversa uma sala. São pessoas de fé flamejante que, por sua palavra, levam ao próximo: fé, esperança e caridade. São verdadeiras fortalezas como os muros de um Castelo contra a crise moral e as tendências desordenadas do mundo moderno. Quando encontramos essas pessoas, percebemos que conhecer sua alma, seu interior, é o mesmo que visitar um castelo com suas inúmeras salas. São pessoas que voam para a região mais alta do pensamento e se elevam como uma águia, admirando os horizontes e o sol... Vivem na grandeza das montanhas rochosas onde os ventos são para os heróis... Eu conheci algumas dessas águias do pensamento. Foram meus professores e mestres, meus avós e sobretudo meus Pais que enriqueceram minha juventude e me deram a devida formação Católica Apostolica Romana através das mais belas histórias.

A arte de contar histórias está sumindo, infelizmente.

O contador de histórias sempre ocupou um lugar muito importante em outras épocas.

As famílias não têm mais a união de outrora, as conversas entre amigos se tornaram banais. Contar histórias: Une as famílias, anima uma conversa, torna a aula agradável, reata as conversas entre pais e filhos, dá sabedoria aos adultos, torna um jantar interessante, aguça a inteligência, ilustra conferências... Pense nisso.

Há sempre uma história para qualquer ocasião.

“Ide por todo o mundo e pregai o Evangelho a toda criatura” (Mc. 16:15)

Nosso Senhor Jesus Cristo ensinava por parábolas. Peço a Nossa Senhora que recompense ao cêntuplo, todas as pessoas que visitarem este Blog e de alguma forma me ajudarem a divulga-lo. Convido você a ser um seguidor. Autorizo a copiar todas as matérias publicadas neste blog, mas peço a gentileza de mencionarem a fonte de onde originalmente foi extraída. Além de contos, estórias, histórias e poesias, o blog poderá trazer notícias e outras matérias para debates.
Agradeço todos os Sêlos, Prêmios e Reconhecimentos que o Blog Almas Castelos recebeu. Todos eles dou para Nossa Senhora, sem a qual o Almas Castelos não existiria. Por uma questão de estética os mesmos foram colocados na barra lateral direita do Blog. Obrigado. Que a Santa Mãe de Deus abençoe a todos.

quarta-feira, 4 de julho de 2012

A mortalha de Saladino

Nota explicativa: Saladino foi um muçulmano curdo que se tornou sultão do Egito e da Síria e liderou a oposição islâmica aos cruzados europeus. Foi o responsável por reconquistar Jerusalém. Era adepto de islamismo sunita, tornando-se célebre entre os cronistas cristãos da época por sua conduta cavalheiresca, especialmente nos relatos sobre o sítio a Kerak em Moab, e apesar de combater os cruzados, conquistou o respeito de muitos deles, incluindo Ricardo Coração de Leão; longe de se tornar uma figura odiada na Europa, tornou-se um exemplo célebre dos princípios da cavalaria medieval. [...]

Saladino morreu no dia 4 de março de 1193, em Damasco, pouco depois da partida de Ricardo. Quando o tesouro de Saladino foi aberto não havia dinheiro suficiente para pagar por seu funeral; ele havia dado todo o seu imenso tesouro para caridade.

Vejamos o que nos conta Malba Tahan:

O sultão Saladino, apelidado o Grande, conseguiu dominar a Síria, a Arábia, a Pérsia e a Mesopotâmia. Foi o maior guerreiro e conquistador da sua época. O seu poder e a sua riqueza eram enormes. Estava, todavia, plenamente persuadido da completa inutilidade das riquezas. Ordenou, no seu testamento, que se distribuíssem somas consideráveis entre os pobres, a fim de que os beneficiados implorassem para ele a misericórdia de Deus.

Mandou que a camisa ou túnica que tivesse de vestir na ocasião de sua morte, fosse levada na ponta de uma lança através de todo o acampamento e à frente de seu exército, e que o soldado que a conduzisse parasse por intervalos e proclamasse em voz alta:

"Contemplai o que resta do sultão Saladino! De todos os Estados que conquistou, de todas as províncias que subjugou, dos tesouros imensos que acumulou, das riquezas reais que possui, só conservou, ao morrer, esta simples mortalha!

(D.)
1) Lendas do Céu e da Terra – Malba Tahan
2) http://pt.wikipedia.org/wiki/Saladino

Nenhum comentário:

Postar um comentário