Mas porque Almas Castelos? Eu conheci algumas. São pessoas cujas almas se parecem com um castelo. São fortes e combativas, contendo no seu interior inúmeras salas, cada qual com sua particularidade e sua maravilha. Conversar, ouvir uma história... é como passear pelas salas de sua alma, de seu castelo. Cada sala uma história, cada conversa uma sala. São pessoas de fé flamejante que, por sua palavra, levam ao próximo: fé, esperança e caridade. São verdadeiras fortalezas como os muros de um Castelo contra a crise moral e as tendências desordenadas do mundo moderno. Quando encontramos essas pessoas, percebemos que conhecer sua alma, seu interior, é o mesmo que visitar um castelo com suas inúmeras salas. São pessoas que voam para a região mais alta do pensamento e se elevam como uma águia, admirando os horizontes e o sol... Vivem na grandeza das montanhas rochosas onde os ventos são para os heróis... Eu conheci algumas dessas águias do pensamento. Foram meus professores e mestres, meus avós e sobretudo meus Pais que enriqueceram minha juventude e me deram a devida formação Católica Apostolica Romana através das mais belas histórias.

A arte de contar histórias está sumindo, infelizmente.

O contador de histórias sempre ocupou um lugar muito importante em outras épocas.

As famílias não têm mais a união de outrora, as conversas entre amigos se tornaram banais. Contar histórias: Une as famílias, anima uma conversa, torna a aula agradável, reata as conversas entre pais e filhos, dá sabedoria aos adultos, torna um jantar interessante, aguça a inteligência, ilustra conferências... Pense nisso.

Há sempre uma história para qualquer ocasião.

“Ide por todo o mundo e pregai o Evangelho a toda criatura” (Mc. 16:15)

Nosso Senhor Jesus Cristo ensinava por parábolas. Peço a Nossa Senhora que recompense ao cêntuplo, todas as pessoas que visitarem este Blog e de alguma forma me ajudarem a divulga-lo. Convido você a ser um seguidor. Autorizo a copiar todas as matérias publicadas neste blog, mas peço a gentileza de mencionarem a fonte de onde originalmente foi extraída. Além de contos, estórias, histórias e poesias, o blog poderá trazer notícias e outras matérias para debates.
Agradeço todos os Sêlos, Prêmios e Reconhecimentos que o Blog Almas Castelos recebeu. Todos eles dou para Nossa Senhora, sem a qual o Almas Castelos não existiria. Por uma questão de estética os mesmos foram colocados na barra lateral direita do Blog. Obrigado. Que a Santa Mãe de Deus abençoe a todos.

quinta-feira, 10 de março de 2011

Melhor conselho que eu posso lhe dar: Confesse Bem


Um dos livros mais preciosos que eu já tive oportunidade de ler é sem dúvida “O Caminho Reto” de Santo Antonio Maria Claret. Transcrevo um episódio narrado pelo Santo autor:

Um homem fazia más confissões e, depois, quando quis confessar-se devidamente, não pode; porque bem diz o mesmo Deus: buscar-me-eis e não me achareis e morrereis em vosso pecado (São João, 8, 21).

Diz, pois, São Ligório que nos anais dos Padres Capuchinhos se conta dum que era tido por pessoa de virtude, mas que se confessava mal. Como caísse gravemente doente, foi avisado que se confessasse, e fez chamar certo Padre ao qual disse logo que chegou:

- Meu Padre, dizei que me confessei, mas eu não quero confessar-me.

- E por que? - lhe replicou admirado o Padre.

- Porque estou condenado, pois não tendo me confessado nunca inteiramente de meus pecados, Deus em castigo me priva agora de poder confessar-me bem.

Dito isto, começou a dar terríveis uivos e a despedaçar a língua, dizendo:

- Maldita língua que não quiseste confessar os pecados quando podias.

E assim, fazendo em pedaços a língua e uivando horrivelmente, entregou a alma ao demônio; seu cadáver ficou negro como um carvão e ouviu-se um barulho espantoso, seguido dum cheiro insuportável.

8 comentários:

  1. Olá! Que bom chegar em um Blog e ver uma bela postagem. Parabéns!
    Grande abraço na Paz e no Amor de Cristo,

    Reinaldo

    ResponderExcluir
  2. Excelente Jorge!

    Blog cada dia melhor. Está de parabéns!

    ResponderExcluir
  3. É preciso examinar a consciência. Preparação. Nada melhor, então, do que o tempo quaresmal. Uma bela e boa confissão para a chegada da Páscoa. Um bom dia para você Jorge :)

    ResponderExcluir
  4. Que sempre nos confessemos bem com inteira responsabilidade e verdade. É um sacramento de grande valor a confissão saibamos aproveitá-la enquanto é tempo.
    Paz e bem!
    Maria

    ResponderExcluir
  5. PASSO A PASSO para uma boa confissão:
    1 Após um minuncioso exame de consciência, através da oração, guiados pela luz do Espírito Santo, nos apresentamos ao sacerdote.
    2 Fazemos o sinal da cruz e dizemos “abençoe-me, padre, eu pequei”.
    3 Com a maior precisão possível, dizemos o tempo passado desde a última confissão, nosso estado de vida (solteiro, casado, viúvo, consagrado...) e se cumprimos a penitência recebida na última confissão.
    4 Confessamos nossas faltas com simplicidade e humildade, expondo, primeiramente, os pecados graves (aqueles que mais intensamente pesam na consciência), sem perder-se em detalhes. Logo depois, confessamos também as faltas mais leves.
    5 Acolhemos os conselhos e a penitência do confessor.
    6 Rezamos o ato de contrição (expontâneo ou não) e o sacerdote pronuncia a fórmula de absolvição.
    Ato de contrição:Senhor, eu me arrependo sinceramente de todo mal que pratiquei e do bem que deixei de fazer. Pecando, eu vos ofendi, meu Deus e sumo bem, digno de ser amado sobre todas as coisas.
    Prometo firmemente, ajudado com a vossa graça, fazer penitência e fugir às ocasiões de pecar.
    Senhor, tende piedade de mim, pelos méritos da paixão, morte e ressurreição de Jesus Cristo, nosso Salvador. Amém.(viacatolica.blogspot.com)

    ResponderExcluir
  6. Parabens por suas postagens, sempre de muito bom proveito para nossa formação .

    ResponderExcluir
  7. De fato, confessar-se bem é de grande importância. A omissão voluntária de pecados graves durante a confissão é pecado de sacrilégio, que deve ser confessado também.

    Há um pequeno catecismo publicado por 30 Giorni que bem explica sobre como fazer uma boa confissão, e fala justamente do sacrilégio contra o sacramento da confissão.

    Porém, não se poder esquecer do outro lado da moeda. Muitos padres colocam entraves e dificuldades para os fiéis fazerem uma boa confissão. Isso não significa que se deva fazer más confissões, mas um padre que não tem paciência para escutar a confissão de um fiel atrapalha muito a vida do penitente!

    ResponderExcluir
  8. O pequeno catecismo de que falei.

    Quem reza se salva. Introdução do Cardeal Joseph...

    http://www.30giorni.it/sommario_supplemento_id_110_l6.htm?id=110

    ResponderExcluir