Mas porque Almas Castelos? Eu conheci algumas. São pessoas cujas almas se parecem com um castelo. São fortes e combativas, contendo no seu interior inúmeras salas, cada qual com sua particularidade e sua maravilha. Conversar, ouvir uma história... é como passear pelas salas de sua alma, de seu castelo. Cada sala uma história, cada conversa uma sala. São pessoas de fé flamejante que, por sua palavra, levam ao próximo: fé, esperança e caridade. São verdadeiras fortalezas como os muros de um Castelo contra a crise moral e as tendências desordenadas do mundo moderno. Quando encontramos essas pessoas, percebemos que conhecer sua alma, seu interior, é o mesmo que visitar um castelo com suas inúmeras salas. São pessoas que voam para a região mais alta do pensamento e se elevam como uma águia, admirando os horizontes e o sol... Vivem na grandeza das montanhas rochosas onde os ventos são para os heróis... Eu conheci algumas dessas águias do pensamento. Foram meus professores e mestres, meus avós e sobretudo meus Pais que enriqueceram minha juventude e me deram a devida formação Católica Apostolica Romana através das mais belas histórias.

A arte de contar histórias está sumindo, infelizmente.

O contador de histórias sempre ocupou um lugar muito importante em outras épocas.

As famílias não têm mais a união de outrora, as conversas entre amigos se tornaram banais. Contar histórias: Une as famílias, anima uma conversa, torna a aula agradável, reata as conversas entre pais e filhos, dá sabedoria aos adultos, torna um jantar interessante, aguça a inteligência, ilustra conferências... Pense nisso.

Há sempre uma história para qualquer ocasião.

“Ide por todo o mundo e pregai o Evangelho a toda criatura” (Mc. 16:15)

Nosso Senhor Jesus Cristo ensinava por parábolas. Peço a Nossa Senhora que recompense ao cêntuplo, todas as pessoas que visitarem este Blog e de alguma forma me ajudarem a divulga-lo. Convido você a ser um seguidor. Autorizo a copiar todas as matérias publicadas neste blog, mas peço a gentileza de mencionarem a fonte de onde originalmente foi extraída. Além de contos, estórias, histórias e poesias, o blog poderá trazer notícias e outras matérias para debates.
Agradeço todos os Sêlos, Prêmios e Reconhecimentos que o Blog Almas Castelos recebeu. Todos eles dou para Nossa Senhora, sem a qual o Almas Castelos não existiria. Por uma questão de estética os mesmos foram colocados na barra lateral direita do Blog. Obrigado. Que a Santa Mãe de Deus abençoe a todos.

sábado, 25 de outubro de 2014

Os filhos de São Francisco de Assis no Paraíso

Uma graciosa lenda tirada dos Fioretti de São Francisco de Assis, justifica as esperanças dos servos de Maria no dia do juízo.

A Rainha do céu fez esta promessa:  Estarei diante dos meus devotos servos na hora da morte, para que saiam deste mundo sem ser feridos pelos inimigos que os rodeiam. São Bernardo chama Maria a “escuda dos pecadores”.

A estória seguinte concorda com esta doutrina:

Frei Leão, um dos companheiros de São Francisco de Assis, viu em sonho a cena do juízo final.

Num vasto campo, os anjos reuniam, ao som das trombetas, uma imensa multidão. A uma das extremidades do campo, uma escada de ouro se elevava da terra até o céu.

Na outra extremidade, outra escada, mas de prata, descia do céu e chegava até a terra.

No tope da escada de ouro, frei Leão via Jesus Cristo, sob as aparências de um Juiz severo; em baixo, estava São Francisco que Jesus abraçou logo. Disse então o Santo: 

“Vinde, meus irmãos, vinde sem temer.”

Os religiosos avançaram e subiram com segurança os degraus da escuda de ouro. Mas quando todos tinham começado a subir, um caiu do terceiro degrau, outro do quarto, do quinto, do sexto, ou do declino.

Enfim nem um só ficou sobre a escada.

São Francisco, olhando para Nosso Senhor, lhe pediu que não os repelisse; mas Jesus Cristo, mostrando a seu servo suas chagas sangrentas: 

“Vê, lhe disse ele, o que me tem feito teus irmãos.”

Então, o santo desceu alguns degraus e dirigindo-se de novo a seus irmãos:

“Coragem, lhes disse ele, tende confiança, meus irmãos; vede a escada de prata, é nela que subireis ao céu.”

Apareceu logo, no tope da escada de prata, a gloriosa Virgem, clemente a misericordiosa. E os filhos de São Francisco, graças à Virgem Imaculada, chegaram até o paraíso.

Fonte original: Catecismo de Nossa Senhora
Crédito: AASCJ

Um comentário:

  1. Que Deus, o Espírito Santo e Jesus Cristo, perdoe meus pecados e me conduza ao caminho do bem, o no dia do meu juízo Nossa Senhora Rainha do Céu interceda a mim, e meus familiares e amigos e amigas na santa fé católica.

    ResponderExcluir