Mas porque Almas Castelos? Eu conheci algumas. São pessoas cujas almas se parecem com um castelo. São fortes e combativas, contendo no seu interior inúmeras salas, cada qual com sua particularidade e sua maravilha. Conversar, ouvir uma história... é como passear pelas salas de sua alma, de seu castelo. Cada sala uma história, cada conversa uma sala. São pessoas de fé flamejante que, por sua palavra, levam ao próximo: fé, esperança e caridade. São verdadeiras fortalezas como os muros de um Castelo contra a crise moral e as tendências desordenadas do mundo moderno. Quando encontramos essas pessoas, percebemos que conhecer sua alma, seu interior, é o mesmo que visitar um castelo com suas inúmeras salas. São pessoas que voam para a região mais alta do pensamento e se elevam como uma águia, admirando os horizontes e o sol... Vivem na grandeza das montanhas rochosas onde os ventos são para os heróis... Eu conheci algumas dessas águias do pensamento. Foram meus professores e mestres, meus avós e sobretudo meus Pais que enriqueceram minha juventude e me deram a devida formação Católica Apostolica Romana através das mais belas histórias.

A arte de contar histórias está sumindo, infelizmente.

O contador de histórias sempre ocupou um lugar muito importante em outras épocas.

As famílias não têm mais a união de outrora, as conversas entre amigos se tornaram banais. Contar histórias: Une as famílias, anima uma conversa, torna a aula agradável, reata as conversas entre pais e filhos, dá sabedoria aos adultos, torna um jantar interessante, aguça a inteligência, ilustra conferências... Pense nisso.

Há sempre uma história para qualquer ocasião.

“Ide por todo o mundo e pregai o Evangelho a toda criatura” (Mc. 16:15)

Nosso Senhor Jesus Cristo ensinava por parábolas. Peço a Nossa Senhora que recompense ao cêntuplo, todas as pessoas que visitarem este Blog e de alguma forma me ajudarem a divulga-lo. Convido você a ser um seguidor. Autorizo a copiar todas as matérias publicadas neste blog, mas peço a gentileza de mencionarem a fonte de onde originalmente foi extraída. Além de contos, estórias, histórias e poesias, o blog poderá trazer notícias e outras matérias para debates.
Agradeço todos os Sêlos, Prêmios e Reconhecimentos que o Blog Almas Castelos recebeu. Todos eles dou para Nossa Senhora, sem a qual o Almas Castelos não existiria. Por uma questão de estética os mesmos foram colocados na barra lateral direita do Blog. Obrigado. Que a Santa Mãe de Deus abençoe a todos.

quinta-feira, 6 de junho de 2013

Humildade e pobreza do Arcebispo



A cidade preparava-se para receber o novo arcebispo, Dom Norberto. Entrementes era aquela azáfama no palácio arquiepiscopal. Homens e mulheres corriam de cá para lá, arrumando a casa para a recepção.

Seu Godofredo, porteiro e mordomo do palácio, já estava perdendo as estribeiras, de tanto nervosismo. Os intrusos e curiosos não lhe davam sossego. Ocupado em preparar a chegada do novo arcebispo, volta-e-meia tinha de interromper o trabalho para tocar os moleques do pátio:

— Se eu pegar vocês de novo, sou capaz de torcer seu pescoço.

Nisto os sinos da catedral e das igrejas começaram a bimbalhar festivos, anunciando que o cortejo vinha chegando. O povo se acotovelava na praça. Os mais afoitos subiam nos muros do jardim, desafiando a vigilância dos guardas.

Estes procuravam, a duras penas, manter ao menos um corredor livre na praça, enquanto Godofredo vigiava a porta principal do palácio.

O cortejo vem vindo. Bispos, cônegos, monsenhores e outros muitos dignitários eclesiásticos, com suas vestes coloridas e reluzentes, atravessam a multidão, rumo ao portão do palácio.Todo o mundo erguia os olhos e punha-se nas pontas dos pés a fim de ver e conhecer o novo arcebispo. Mas ele não aparecia nunca. Todos se perguntavam: Você viu? Eu não vi ainda.

Eis que, de repente, aparece um homem alto e magro, abrindo caminho por entre a multidão que, meio frustrada, já estava invadindo o corredor. Ele vestia uma túnica toda remendada, e... estava descalço. Quis entrar também. Mas o velho porteiro barrou-lhe a entrada:

— Fora daqui. Eu já disse que aqui não passa ninguém, a não ser o pessoal do cortejo.

Um sorriso calmo iluminou o semblante daquele homem, que disse:

— Nem por isso você vai impedir-me a entrada. Eu sou o novo arcebispo.

O porteiro perdeu a fala, de tanto desapontamento e espanto. Quem estava chegando, era o próprio Dom Norberto que vinha tomar posse em Magdeburgo. Foi canonizado: hoje é São Norberto.

(Fonte: Pe. Guilherme Hünermann - São Norberto (+1134) — fundador dos Premonstratenses. Festa: 6 de junho)

Fonte: Boletim do Padre Pelágio.

Um comentário:

  1. Olá amigo, passando para lhe deixar um abração cheio do amor do amor de Deus. Que continue iluminando sua caminhada. Com carinho Joelma.

    ResponderExcluir