Mas porque Almas Castelos? Eu conheci algumas. São pessoas cujas almas se parecem com um castelo. São fortes e combativas, contendo no seu interior inúmeras salas, cada qual com sua particularidade e sua maravilha. Conversar, ouvir uma história... é como passear pelas salas de sua alma, de seu castelo. Cada sala uma história, cada conversa uma sala. São pessoas de fé flamejante que, por sua palavra, levam ao próximo: fé, esperança e caridade. São verdadeiras fortalezas como os muros de um Castelo contra a crise moral e as tendências desordenadas do mundo moderno. Quando encontramos essas pessoas, percebemos que conhecer sua alma, seu interior, é o mesmo que visitar um castelo com suas inúmeras salas. São pessoas que voam para a região mais alta do pensamento e se elevam como uma águia, admirando os horizontes e o sol... Vivem na grandeza das montanhas rochosas onde os ventos são para os heróis... Eu conheci algumas dessas águias do pensamento. Foram meus professores e mestres, meus avós e sobretudo meus Pais que enriqueceram minha juventude e me deram a devida formação Católica Apostolica Romana através das mais belas histórias.

A arte de contar histórias está sumindo, infelizmente.

O contador de histórias sempre ocupou um lugar muito importante em outras épocas.

As famílias não têm mais a união de outrora, as conversas entre amigos se tornaram banais. Contar histórias: Une as famílias, anima uma conversa, torna a aula agradável, reata as conversas entre pais e filhos, dá sabedoria aos adultos, torna um jantar interessante, aguça a inteligência, ilustra conferências... Pense nisso.

Há sempre uma história para qualquer ocasião.

“Ide por todo o mundo e pregai o Evangelho a toda criatura” (Mc. 16:15)

Nosso Senhor Jesus Cristo ensinava por parábolas. Peço a Nossa Senhora que recompense ao cêntuplo, todas as pessoas que visitarem este Blog e de alguma forma me ajudarem a divulga-lo. Convido você a ser um seguidor. Autorizo a copiar todas as matérias publicadas neste blog, mas peço a gentileza de mencionarem a fonte de onde originalmente foi extraída. Além de contos, estórias, histórias e poesias, o blog poderá trazer notícias e outras matérias para debates.
Agradeço todos os Sêlos, Prêmios e Reconhecimentos que o Blog Almas Castelos recebeu. Todos eles dou para Nossa Senhora, sem a qual o Almas Castelos não existiria. Por uma questão de estética os mesmos foram colocados na barra lateral direita do Blog. Obrigado. Que a Santa Mãe de Deus abençoe a todos.

sábado, 2 de abril de 2011

O Tradicional está se tornando moderno


Já há tempos que eu venho noticiando que a Tradição está voltando. O gosto pelas modas tradicionais está sendo comum entre certo setor da juventude, e música clássica está crescendo cada vez mais.

Hoje ao abrir a Revista Veja São Paulo de 06 de abril de 2011, me deparei com uma notícia que confirma o que venho afirmando ao longo de minhas postagens:

Na foto vemos o jovem Lucas, de apenas 12 anos, que foi aplaudido de pé numa das salas de concertos mais importantes da Capital de São Paulo: A Sala São Paulo.

Lucas Targino Farias é a composição do que define uma criança-prodígio: talento precoce, dedicação e um pouco de sorte. Natural da cidade de Guarulhos em São Paulo, o menino de 12 anos de idade começou a tocar violino aos 4.

Estuda cinco horas por dia e, há um ano, caiu nas graças do Maestro João Carlos Martins.

“Virei bolsista da Bachiana Filarmônica Sesi-SP” – orgulha-se.

No sábado passado (dia 26/03/2011), na ocasião da abertura da temporada 2011 da orquestra, Lucas emocionou como solista em um concerto para violino de Johann Sebastian Bach. Foi aplaudido de pé pelo público da imponente Sala São Paulo. Diz o jovem:

“O carinho das pessoas me motiva a ser o melhor”.

SALA DE CONCERTOS SÃO PAULO

2 comentários:

  1. Boa notícia! Que essa onde chegue com força também em lugares menos favorecidos culturalmente no Brasil.

    ResponderExcluir
  2. Isso nos alegra sobremaneira! Somos celeiros de talentos, ouvi um dia desses. Que bonito um dom ser cultivado com amor e desvelo! Lindo post! Meu abraço!

    ResponderExcluir