Mas porque Almas Castelos? Eu conheci algumas. São pessoas cujas almas se parecem com um castelo. São fortes e combativas, contendo no seu interior inúmeras salas, cada qual com sua particularidade e sua maravilha. Conversar, ouvir uma história... é como passear pelas salas de sua alma, de seu castelo. Cada sala uma história, cada conversa uma sala. São pessoas de fé flamejante que, por sua palavra, levam ao próximo: fé, esperança e caridade. São verdadeiras fortalezas como os muros de um Castelo contra a crise moral e as tendências desordenadas do mundo moderno. Quando encontramos essas pessoas, percebemos que conhecer sua alma, seu interior, é o mesmo que visitar um castelo com suas inúmeras salas. São pessoas que voam para a região mais alta do pensamento e se elevam como uma águia, admirando os horizontes e o sol... Vivem na grandeza das montanhas rochosas onde os ventos são para os heróis... Eu conheci algumas dessas águias do pensamento. Foram meus professores e mestres, meus avós e sobretudo meus Pais que enriqueceram minha juventude e me deram a devida formação Católica Apostolica Romana através das mais belas histórias.

A arte de contar histórias está sumindo, infelizmente.

O contador de histórias sempre ocupou um lugar muito importante em outras épocas.

As famílias não têm mais a união de outrora, as conversas entre amigos se tornaram banais. Contar histórias: Une as famílias, anima uma conversa, torna a aula agradável, reata as conversas entre pais e filhos, dá sabedoria aos adultos, torna um jantar interessante, aguça a inteligência, ilustra conferências... Pense nisso.

Há sempre uma história para qualquer ocasião.

“Ide por todo o mundo e pregai o Evangelho a toda criatura” (Mc. 16:15)

Nosso Senhor Jesus Cristo ensinava por parábolas. Peço a Nossa Senhora que recompense ao cêntuplo, todas as pessoas que visitarem este Blog e de alguma forma me ajudarem a divulga-lo. Convido você a ser um seguidor. Autorizo a copiar todas as matérias publicadas neste blog, mas peço a gentileza de mencionarem a fonte de onde originalmente foi extraída. Além de contos, estórias, histórias e poesias, o blog poderá trazer notícias e outras matérias para debates.
Agradeço todos os Sêlos, Prêmios e Reconhecimentos que o Blog Almas Castelos recebeu. Todos eles dou para Nossa Senhora, sem a qual o Almas Castelos não existiria. Por uma questão de estética os mesmos foram colocados na barra lateral direita do Blog. Obrigado. Que a Santa Mãe de Deus abençoe a todos.

sábado, 31 de julho de 2010

Crianças, Família e Inocência

No mundo de hoje onde as pessoas correm sempre ocupadas com afazeres, é comum encontrarmos pais que deixam as crianças a mercê da televisão, sem se preocuparem com o seu conteúdo. Quantos simples desenhos quando não transmitem violência, não raro oferecem figuras de monstros para preencher a mente dos pequeninos.

É fato notório que não há mais espaços para as crianças se divertirem como outrora. E as ocupações dos mais jovens nem de longe são as ocupações que tínhamos quando éramos jovens. Isso preocupa muito. A inocência é uma virtude que deve ser preservada como um tesouro a ser guardado. O hábito de contar estórias entre as famílias já quase não existe mais. E é exatamente através das “saborosas” estórias que muitas vezes os pais educam seus filhos, os professores tornam as aulas agradáveis, as conversas se tornam enriquecidas, as famílias se edificam e o apostolado frutifica.

Vemos na Sagrada Escritura o ensinamento de Nosso Senhor sobre a Santa Inocencia:

Trouxeram-lhe também criancinhas, para que ele as tocasse. Vendo isto, os discípulos as repreendiam.
Jesus, porém, chamou-as e disse: Deixai vir a mim as criancinhas e não as impeçais, porque o Reino de Deus é daqueles que se parecem com elas.
Em verdade vos declaro: quem não receber o Reino de Deus como uma criancinha, nele não entrará.
(São Lucas: 18, 15-17)

Neste momento os discípulos aproximaram-se de Jesus e perguntaram-lhe: Quem é o maior no Reino dos céus?
Jesus chamou uma criancinha, colocou-a no meio deles e disse:
Em verdade vos declaro: se não vos transformardes e vos tornardes como criancinhas, não entrareis no Reino dos céus.
Aquele que se fizer humilde como esta criança será maior no Reino dos céus.E o que recebe em meu nome a um menino como este, é a mim que recebe.
(São Mateus 18: 1-5)

Aí de nós se não voltarmos a ser inocentes. Ai de nós se deixarmos uma criança se perder nesse mundo hostil aos ensinamentos de Deus.

Um comentário:

  1. Sou um brasileiro morando em Treviso, Norte da Itália. Estou acompanhando atentamente suas publicações.Tenho traduzido e repassado para pessoas dos meus contatos. Todos aqui estão gostando.
    Abraços fraternais

    ResponderExcluir