Mas porque Almas Castelos? Eu conheci algumas. São pessoas cujas almas se parecem com um castelo. São fortes e combativas, contendo no seu interior inúmeras salas, cada qual com sua particularidade e sua maravilha. Conversar, ouvir uma história... é como passear pelas salas de sua alma, de seu castelo. Cada sala uma história, cada conversa uma sala. São pessoas de fé flamejante que, por sua palavra, levam ao próximo: fé, esperança e caridade. São verdadeiras fortalezas como os muros de um Castelo contra a crise moral e as tendências desordenadas do mundo moderno. Quando encontramos essas pessoas, percebemos que conhecer sua alma, seu interior, é o mesmo que visitar um castelo com suas inúmeras salas. São pessoas que voam para a região mais alta do pensamento e se elevam como uma águia, admirando os horizontes e o sol... Vivem na grandeza das montanhas rochosas onde os ventos são para os heróis... Eu conheci algumas dessas águias do pensamento. Foram meus professores e mestres, meus avós e sobretudo meus Pais que enriqueceram minha juventude e me deram a devida formação Católica Apostolica Romana através das mais belas histórias.

A arte de contar histórias está sumindo, infelizmente.

O contador de histórias sempre ocupou um lugar muito importante em outras épocas.

As famílias não têm mais a união de outrora, as conversas entre amigos se tornaram banais. Contar histórias: Une as famílias, anima uma conversa, torna a aula agradável, reata as conversas entre pais e filhos, dá sabedoria aos adultos, torna um jantar interessante, aguça a inteligência, ilustra conferências... Pense nisso.

Há sempre uma história para qualquer ocasião.

“Ide por todo o mundo e pregai o Evangelho a toda criatura” (Mc. 16:15)

Nosso Senhor Jesus Cristo ensinava por parábolas. Peço a Nossa Senhora que recompense ao cêntuplo, todas as pessoas que visitarem este Blog e de alguma forma me ajudarem a divulga-lo. Convido você a ser um seguidor. Autorizo a copiar todas as matérias publicadas neste blog, mas peço a gentileza de mencionarem a fonte de onde originalmente foi extraída. Além de contos, estórias, histórias e poesias, o blog poderá trazer notícias e outras matérias para debates.
Agradeço todos os Sêlos, Prêmios e Reconhecimentos que o Blog Almas Castelos recebeu. Todos eles dou para Nossa Senhora, sem a qual o Almas Castelos não existiria. Por uma questão de estética os mesmos foram colocados na barra lateral direita do Blog. Obrigado. Que a Santa Mãe de Deus abençoe a todos.

segunda-feira, 14 de novembro de 2011

A árvore silvestre


É muito dificil, neste mundo de hoje, dizer: tenham vida em abundância. É possivel que alguns entendam que ter vida em abundancia significa ter muita saúde para se divertir e gozar a vida num sonho interminável de prazeres mundanos, sejam esses prazeres legítimos ou não.

Mas a vida em abundancia que Nosso Senhor Jesus Cristo nos dá é uma vida sobrenatural, cheia de graças onde frutificam as virtudes e nos leva ao céu. Fiquemos atentos, pois são preciosas as coisas do Céu.

Nossa narração de hoje:

Um jardineiro tem em seu jardim uma árvore silvestre que não dá senão frutos amargos. Que faz ele para obter frutos melhores? Toma um rebento duma árvore cultivada e enxerta-o na inculta e eis que esta, no ano seguinte, produz frutos excelentes. E por que? Porque a árvore silvestre, em certo modo, mudou de natureza e de vida.

Nós somos, no dizer do Apóstolo, a oliveira silvestre, nascida de um tronco vicioso, que não pode dar senão frutos amargos. Não se agradou deles Deus, o Jardineiro das almas, e, desejando obter frutos melhores, infundiu-nos uma vida nova e sobrenatural, e agora podemos dar frutos bons, isto é, obras meritórias para a vida eterna.

Essa vida nos foi outorgada por Ele e tal verdade ressalta de suas próprias palavras:

- Eu vim para que tenham a vida e a tenham em abundância.

(autor: D. - Lendas do Céu e da Terra)

3 comentários:

  1. Olá, meu bom amigo, penso que muitos ainda acham que "tenham vida e a tenham em abundância" seja aquilo que está no prólogo deste post, esquecendo que fomos carimbados, infundidos com vida nova e sobrenatural para dar bons frutos! Um abração! Muito belo o que vc postou!

    ResponderExcluir
  2. Olá, Jorge!

    Interessante o seu comentário introdutório, como bem observou a Maria Luiza!

    Eu penso que deveria haver um meio termo para todos, embora isso seja utópico e, às vezes a pobreza possa ser um meio de purificação (nem sempre é claro). Mas o que quero dizer é que penso como certo autor sagrado, não me lembro agora em qual livro da Bíblia, dizia em oração: Senhor não me dê a miséria para que, desesperado te amaldiçoe, nem a opulência, para que saciado, te despreze, mas dá-me o que é necessário... Mais ou menos isso.

    ResponderExcluir
  3. Jorge, você conhece esta oração de São Tomás de Aquino?!

    Veja o que ele diz logo no início. Eu penso da mesma forma.


    Uma oração de São Tomás de Aquino
    Que eu chegue a ti, Senhor, por um caminho seguro e reto; caminho que não se desvie nem na prosperidade nem na adversidade, de tal forma que eu te dê graças nas horas prósperas e nas adversas conserve a paciência, não me deixando exaltar pelas primeiras nem abater pelas outras

    Que nada me alegre ou entristeça, exceto o que me conduza a ti ou que de ti me separe.
 Que eu não deseje agradar nem receie desagradar senão a ti.
Tudo o que passa torne-se desprezível a meus olhos por tua causa, Senhor, e tudo o que te diz respeito me seja caro, mas tu, meu Deus, mais do que o resto. Qualquer alegria sem ti me seja fastidiosa, e nada eu deseje fora de ti.


    Qualquer trabalho, Senhor, feito por ti me seja agradável e insuportável aquele de que estiveres ausente.
 Concede-me a graça de erguer continuamente o coração a ti e que, quando eu caia, me arrependa.
Torna-me, Senhor meu Deus, obediente, pobre e casto; paciente, sem reclamação; humilde, sem fingimento; alegre, sem dissipação; triste, sem abatimento; reservado, sem rigidez; ativo, sem leviandade; animado pelo temor, sem desânimo; sincero, sem duplicidade; fazendo o bem sem presunção; corrigindo o próximo sem altivez; edificando-o com palavras e exemplos, sem falsidade.


    Dá-me, Senhor Deus, um coração vigilante, que nenhum pensamento curioso arraste para longe de ti; um coração nobre que nenhuma afeição indigna debilite; um coração reto que nenhuma intenção equívoca desvie; um coração firme, que nenhuma adversidade abale; um coração livre, que nenhuma paixão subjugue.
 Concede-me, Senhor meu Deus, uma inteligência que te conheça, uma vontade que te busque, uma sabedoria que te encontre, uma vida que te agrade, uma perseverança que te espere com confiança e uma confiança que te possua, enfim. 
Amém.

    ResponderExcluir