Mas porque Almas Castelos? Eu conheci algumas. São pessoas cujas almas se parecem com um castelo. São fortes e combativas, contendo no seu interior inúmeras salas, cada qual com sua particularidade e sua maravilha. Conversar, ouvir uma história... é como passear pelas salas de sua alma, de seu castelo. Cada sala uma história, cada conversa uma sala. São pessoas de fé flamejante que, por sua palavra, levam ao próximo: fé, esperança e caridade. São verdadeiras fortalezas como os muros de um Castelo contra a crise moral e as tendências desordenadas do mundo moderno. Quando encontramos essas pessoas, percebemos que conhecer sua alma, seu interior, é o mesmo que visitar um castelo com suas inúmeras salas. São pessoas que voam para a região mais alta do pensamento e se elevam como uma águia, admirando os horizontes e o sol... Vivem na grandeza das montanhas rochosas onde os ventos são para os heróis... Eu conheci algumas dessas águias do pensamento. Foram meus professores e mestres, meus avós e sobretudo meus Pais que enriqueceram minha juventude e me deram a devida formação Católica Apostolica Romana através das mais belas histórias.

A arte de contar histórias está sumindo, infelizmente.

O contador de histórias sempre ocupou um lugar muito importante em outras épocas.

As famílias não têm mais a união de outrora, as conversas entre amigos se tornaram banais. Contar histórias: Une as famílias, anima uma conversa, torna a aula agradável, reata as conversas entre pais e filhos, dá sabedoria aos adultos, torna um jantar interessante, aguça a inteligência, ilustra conferências... Pense nisso.

Há sempre uma história para qualquer ocasião.

“Ide por todo o mundo e pregai o Evangelho a toda criatura” (Mc. 16:15)

Nosso Senhor Jesus Cristo ensinava por parábolas. Peço a Nossa Senhora que recompense ao cêntuplo, todas as pessoas que visitarem este Blog e de alguma forma me ajudarem a divulga-lo. Convido você a ser um seguidor. Autorizo a copiar todas as matérias publicadas neste blog, mas peço a gentileza de mencionarem a fonte de onde originalmente foi extraída. Além de contos, estórias, histórias e poesias, o blog poderá trazer notícias e outras matérias para debates.
Agradeço todos os Sêlos, Prêmios e Reconhecimentos que o Blog Almas Castelos recebeu. Todos eles dou para Nossa Senhora, sem a qual o Almas Castelos não existiria. Por uma questão de estética os mesmos foram colocados na barra lateral direita do Blog. Obrigado. Que a Santa Mãe de Deus abençoe a todos.

segunda-feira, 20 de maio de 2013

O respeito humano


Apesar da palavra respeito parecer significar apenas não ofender ninguém, ela tem um sentido muito mais amplo. Respeitar é algo que dirige as normas de agir de uma pessoa. No mundo religioso, ter RESPEITO HUMANO significa ter vergonha. Quando alguém tem vergonha de rezar em público, por exemplo, diz-se que a pessoa tem respeito humano.

Se alguém se envergonhar de mim e das minhas palavras, também o Filho do Homem se envergonhará dele, quando vier na sua glória, na glória de seu Pai e dos santos anjos. (São Lucas, 9,26)

Vamos a história de hoje:

O RESPEITO HUMANO

Um jovem estudante, passeando, uma noite, pelas ruas de Paris, entrou por acaso numa igreja. Não era incrédulo, nem tampouco fervoroso. De pé, sem ter a intenção de rezar, distraía-se em observar os que se achavam no templo: mulheres, meninas, alguns trabalhadores e meia dúzia de soldados vindos, hora antes, das aldeias mais próximas.

De repente viu, do outro lado, um homem ajoelhado em atitude reverente.

“Eis ali um religioso”, que parece ser pessoa de tratamento e elevada distinção. Como teria vindo parar aqui, a rezar com este povo? Vamos observá-lo de mais perto.”

O jovem encaminhou-se discretamente para lá e aproximou-se do homem que orava.

- É incrível! – exclamou-se, tomado de vivo espanto. – É o professor Ampère!

Era ele realmente, o maior gênio da Escola Politécnica de Paris, o fundador da eletricidade dinâmica, André Marie Ampère, que ali, humilde como uma criança, estava orando aos pés do altar.

- Se um homem notável como este – disse o estudante -, o maior sábio do mundo, não se sente diminuído ou envergonhado ao demonstrar a grandeza de sua fé, não vejo mais motivo algum para conservar o meu espírito envenenado pelo respeito humano!

Desse dia em diante, o rapazinho alterou, por completo, o rumo de sua vida. Passou a freqüentar a igreja e a orar com devoção junto aos altares.

Esse estudante, que a exemplo do sábio levara ao caminho da salvação, veio a ser o grande Francisco Ozanam.
Ozanam vencera, para sempre, o respeito humano que dominava o seu coração de jovem.

Entre as numerosas cadeias com as quais o espírito das trevas retrai as almas de bem, e as retém no caminho da culpa, jamais se encontrará uma tão pesada como o é o respeito humano.

Por estas palavras, respeito humano, entendem os teólogos o crime daquele que cora de Deus; que não ousa manifestar os seus sentimentos religiosos, porque essa manifestação lhe atrairia os motejos dos ímpios e dos indiferentes.

O respeito humano é um sentimento ignóbil e cobarde, que nos faz renegar o bem pelo mal, a verdade pelo erro, a consciência e a religião pelas máximas do século, com o fim de agradar aos homens e conciliar-lhes a estima.

Autor: (D.) – Lendas do Céu e da Terra – Malba Tahan

NOTA DO BLOG: Ampère é uma unidade de medida da intensidade elétrica. A sua biografia encontramos na wikipédia:
André-Marie Ampère nasceu no ano de 1775 em Lyon (França), foi professor na École Polytechnique de Paris. Em 1814 foi eleito membro da Académie des Sciences. Ocupou-se com vários ramos do conhecimento humano, deixando obras de importância, principalmente no domínio da física e da matemática. Partindo das experiências feitas pelo dinamarquês Hans Christian Oersted sobre o efeito magnético da corrente elétrica, soube estruturar e criar a teoria que possibilitou a construção de um grande número de aparelhos eletromagnéticos. Além disso descobriu as leis que regem as atrações e repulsões das correntes elétricas entre si. Foi físico, filósofo, cientista e matemático francês. Em sua homenagem, foi dado o nome de ampère (símbolo: A) à unidade de medida da intensidade de corrente elétrica.

Foto e Biografia:
http://pt.wikipedia.org/wiki/Andr%C3%A9-Marie_Amp%C3%A8re

2 comentários:

  1. Meu caro amigo, muitas saudades mesmo! Gostaria que não houvesse tanto silêncio! Seu blog continua um primor, com histórias lindas. Fui acostumada a ler histórias desse tipo quando criança e só aqui, neste seu blog, voltei nesse tempo bonito de minha vida! Sabe, qualquer dia vou enviar-lhe um e-mail! Tenho muita coisa para lhe contar, se é que posso, pois seu silêncio, me diz que não quer ser incomodado! Grande abraço!

    ResponderExcluir
  2. Minha amiga Maria Luiza, obrigado pelo comentário no blog.
    Estive um pouco ausente da internet, por vários motivos de trabalho. Um dos nossos amigos, Paulo de Tebas, estava muito doente, o que dificultou mais ainda nosso trabalho na internet e nos blogs. O Paulo está internado, mas com toda a atenção de seus familiares.
    Mas estou por aqui, se quiser me enviar um e-mail pode enviar sim.
    Jorge

    ResponderExcluir